segunda-feira, dezembro 27, 2010

Resolva!

tumblr_resolva
{via}


O ano vai chegando ao fim e não sei quanto a vocês, mas é clássico pra mim chegar nessa época e parar pra pensar em tudo que rolou durante o ano, no que vou levar de bom, no que vou escolher desprezar… Muito mais do que pensar no que passou, chega a hora de nutrir expectativas sobre o que há de vir. Ou seja, é nessa hora também que minha mente é tomada por “coisas que quero fazer no ano que vem” - uma expressão cheia de eufemismos para “resoluções de ano novo”, hehehe!

sexta-feira, dezembro 24, 2010

Natal pra poetizar

Meninas, o natal do SM tá todo singelo, voltado pra quem tem alma sensível e gosta de ler. Separei 3 poesias da grande poetisa evangélica, Myrtes Mathias, pra que vocês leiam, reflitam e sejam abençoadas. Porque melhor do que ficar falando que o sentido do natal foi deturpado, é parar tudo pra fazer da forma certa ^^ Que sirvam para meditação e edificação do coração de vocês!

tumblr_ldqps1U68S1qe0hneo1_500 (via)

terça-feira, dezembro 21, 2010

... na presença de uma mulher!


Enfim meu post de estréia! Para as que ainda não me conhecem… Muito prazer! Sou a Kamilla e é com muita alegria (muita mesmo) e com muita gratidão que estréio aqui no Santa Menina!
Vamos ao post?

Há dias tenho pensado (dias não! Meses) na realidade da seguinte afirmação que li em um livro: “Todo homem quer ser homem na presença de uma mulher que é mulher!” Confuso?? Nenhuma novidade nisso? Como assim? E outras mil perguntas? Aposto que muitas delas se passaram pela minha cabeça também!
Duas semanas atrás essa frase ganhou forma, cor e realidade pra mim! Eu estava caminhando por uma rua bem famosa e tradicional aqui de Curitiba, o calçadão da Rua XV. Percebi que havia um tecido branco amarrado nos postes de luz. Percebi que isso não era apenas na quadra que eu estava, mas haviam tecidos brancos naqueles antigos postes históricos por toda a rua XV (e pra quem a conhece sabe que ela não é nada pequena!). Não, não era decoração de Natal. Percebi também, que havia algo escrito naqueles tecidos. Talvez aquilo tudo me chamou a atenção tão facilmente, porque costuro e vivo entre tecidos, logo um tecido não passa desapercebido assim tão facilmente por mim, e além disso, meu lado ultra curioso começou a se agitar! Passei por um, dois, três postes e no quarto não aguentei. Estiquei um tecido daqueles. Todos os curiosos ao redor esticaram os olhos. Acho que queriam saber tanto quanto eu o que estava escrito lá. Era uma frase escrita em típicas letras masculinas, daquelas “letras de forma”bem corridas e um tanto grudadas umas as outras. Não havia dúvidas que aquilo só podia ter sido escrito por um homem! Também era fácil de saber que um autêntico “canetão” havia sido usado pra que aquelas letras estivessem lá. Andei mais um pouquinho e abri outro tecido. A mesma frase, o mesmo tipo de caneta, uma caligrafia diferente, mas com o mesmo ar masculino. Tentei outro tecido e… a mesma frase, o mesmo tipo de caneta, uma caligrafia diferente, mas o mesmo ar masculino!

sexta-feira, dezembro 10, 2010

Culto Rosa

Meninas, vocês devem estar percebendo que andei sumida nas últimas semanas, não é mesmo? Muito se deve a essa correria típica de final de ano - que eu imagino que deve ter acertado vocês em cheio por aí também, estou certa? Hehe!

Mas muito também se deve a algo que tem tomado muito do meu tempo e do meu carinho, e que penso que vocês também vão amar – e por isso vim compartilhar!!! Estou falando do Culto Rosa! #Comoassim, Juh? Vem que eu te explico melhor!

Culto Rosa